Dia do Cerrado

Dia do Cerrado:  Celebramos no dia onze de setembro o Dia Nacional do Cerrado. Bioma ainda é equivocadamente visto como “pobre” é ainda o maior alvo do desmatamento no Brasil.  

Dia Nacional do Cerrado

Queimada no Cerrado
Queimada no Cerrado. fonte: Agência Brasil

Originalmente com cobertura de pouco mais de 1/5 do território brasileiro, o Cerrado sofre diversas ameaças à sua biodiversidade, principalmente por conta da profusão das atividades econômicas do agronegócio a partir da década de 1970 e que se intensificaram nos últimos anos.

Depois da Mata Atlântica, o Cerrado é o ecossistema brasileiro que mais alterações sofreu com a ocupação humana. O bioma é considerado um dos 25 ecossistemas do planeta com alto risco de extinção.

Um dos primeiros impactos ambientais graves na região foi causado por garimpos e a atividade mineradora em grande escala, que contaminaram os rios com mercúrio, provocaram o assoreamento dos cursos de água e, em alguns casos, chegou até mesmo a impossibilitar a própria extração do ouro rio abaixo.

Contudo, a expansão da monocultura intensiva de grãos e da pecuária extensiva de baixa tecnologia representam a principal ameaça à biodiversidade do Cerrado.

Para estudiosos do bioma, a destruição do Cerrado é irreversível.

Onze de setembro (11/09) Dia do Cerrado

Dia do Cerrado
Dia do Cerrado – (11/9) Dia Nacional do Cerrado: Onze de setembro

Segundo cálculos realizados em 1998 pelo INPE, restavam apenas 34,22% das áreas nativas remanescentes do Cerrado.

Previsões apontam a extinção do bioma até o ano de 2030. A extinção do Cerrado comprometeria também o abastecimento potável em todo o Brasil, já que o fim do bioma representará a extinção dos grandes mananciais de água que abastecem as grandes bacias hidrográficas do país.

Unidades de conservação – Dia do Cerrado

Apesar do reconhecimento de sua importância biológica, o Cerrado é o que possui a menor porcentagem de áreas sobre proteção integral, tendo apenas 2,85% são unidades de conservação de proteção integral e 5,36% de unidades de conservação de uso sustentável, incluindo RPPNs (0,07%)

Comentários do Facebook